top of page

A levar a ciência para além da escola através do programa SciComm4all



O meu nome é Raquel Branquinho e sou investigadora na Universidade do Porto/FLUP. Sou também gestora e comunicadora científica e membro coordenadora da Academia de Ciências Gomes Teixeira (GOMA). Acredito firmemente que a ciência pode ser usada como catalisador para combater as desigualdades e como fonte de inspiração para a educação e o desenvolvimento cultural. Como cientista e comunicadora científica, sou apaixonada por promover a literacia científica entre públicos diversos. Por isso, surgiu naturalmente para mim aderir aos programas de extensão "@Cientista regressa à escola" e "Cartas com Ciência" da Native Scientists, que foram fontes cruciais de inspiração para o meu compromisso com a prática equitativa na comunicação científica e no envolvimento público. As minhas experiências profissionais e académicas levaram-me ao SciComm4all.


Como surgiu o SciComm4all?

Hoje, a participação pública na ciência tornou-se cada vez mais imperativa devido ao papel que a ciência desempenha na vida quotidiana. A ciência pertence a todos e é para todos, o que significa que o público influencia necessariamente a política científica, a investigação e a comunidade científica de forma mais ampla. Isto destaca a importância da literacia científica entre o público, ajudando a agregar legitimidade e valor ao trabalho das pessoas cientistas. A divulgação científica e o envolvimento do público também contribuem significativamente para moldar a relação entre a ciência e a sociedade, onde as universidades e as suas pessoas cientistas desempenham um papel crucial na ponte entre a ciência e o público. No entanto, as pessoas cientistas continuam a enfrentar vários desafios quando se trata de interagir com o público e alcançar vários setores da sociedade.


Com isto em mente, uma equipa internacional multidisciplinar de cientistas e comunicadores científicos, cujos nomes estão listados por ordem alfabética abaixo, fundou o programa SciComm4all. O seu objetivo era capacitar a comunidade científica com estratégias cruciais para o envolvimento em interações produtivas com diversas partes interessadas em toda a sociedade, tornando a ciência digerível independentemente da origem. O programa SciComm4all foi produzido no âmbito da Ação EuroScitizen de Cooperação Europeia em Ciência e Tecnologia (COST): 'Construindo a literacia científica na evolução para europeus cientificamente responsáveis' e provavelmente proporcionará a cientistas a oportunidade de se familiarizarem com as atuais diretrizes de comunicação científica e ganhar confiança ao interagir com diferentes membros da sociedade.


Quem esteve envolvido no SciComm4all?

A equipa internacional SciComm4all:

  • Fanny Bilak (Le Cercle FSER, Paris, França),

  • Héloïse Dufour (Le Cercle FSER, Paris, França),

  • Lucia Martinelli (MUSE – Museu da Ciência, Trento, Itália)

  • Máté Varga (Universidade ELTE Eötvös Loránd, Departamento de Genética, Budapeste, Hungria),

  • Miguel Ferreira (Universidade de Coimbra, Centro de Ecologia Funcional, Portugal),

  • Raquel Branquinho (Universidade do Porto, REMA (Research Management & Science Communication Hub) - Faculdade de Letras, Portugal),

  • Rita Ponce (Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, Departamento de Ciências da Vida, Lisboa, Portugal),

  • Susana Ambrósio (Universidade de Aveiro, CIDTFF/Departamento de Educação e Psicologia, Portugal).

A equipa foi liderada por Héloïse Dufour e Susana Ambrósio. Muitos outros cientistas, investigadores e divulgadores científicos estiveram envolvidos na tradução do módulo.


O que é o SciComm4all e o que o diferencia de outros programas de comunicação científica?

O SciComm4all foi desenvolvido através de um conjunto de módulos animados de aprendizagem autoguiados que foram organizados na forma de vídeos curtos (cerca de 3 minutos cada). O formato inovador em que os módulos são apresentados (claro e conciso) é complementado por material de referência, dicas para estudos adicionais, uma bibliografia essencial e uma ferramenta de autoavaliação disponível no final de cada módulo.


Os vídeos estão disponíveis em inglês com legendas em outras línguas europeias (albanês, croata, tcheco, holandês, francês, alemão, grego, hebraico, húngaro, italiano, lituano, português, sérvio, espanhol e turco). São gratuitos e estão disponíveis em formato de acesso gratuito.


Para garantir a inclusão e a acessibilidade para todos - das ciências naturais às ciências sociais e humanas - os módulos animados foram desenvolvidos evitando linguagem sexista, gráficos, personagens de esboço e estereótipos comuns em relação aos cientistas e à ciência, mantendo ao mesmo tempo a acessibilidade e a inclusão.

SciComm4all cobre diversos tópicos, como:

  • Definindo comunicação científica,

  • Como entender um público e interagir com ele,

  • Como evitar jargões e escolher bem as palavras,

  • Como definir a mensagem chave e delimitar o tema,

  • Como as emoções podem ser usadas para encorajar a mensagem principal,

  • O uso adequado da ciência, dados e materiais,

  • Como combinar conhecimentos científicos e as suas limitações,

  • O uso da ciência cidadã para o envolvimento público,

  • Como lidar com questões controversas,

  • Como transmitir habilidades de pensamento crítico,

  • Como se preparar para uma entrevista em vídeo,

  • Escrever notícias científicas para não especialistas.

Mais tópicos serão desenvolvidos em breve.


Se quiser saber mais, pode acessar o SciComm4All aqui .

Comments


bottom of page