top of page

Native Scientists apoiada pela MathWorks


No mês passado, a equipa da MathWorks votou na Native Scientists para receber apoio financeiro do seu empregador. O dinheiro recebido permitirá que a Native Scientists chegue a outros 80 alunos migrantes, 40 dos quais se sentirão inspirados para tornarem-se cientistas e 60 dos quais se sentirão mais orgulhosos de falar mais de uma língua (com base nas taxas de impacto calculadas em 2015).


MathWorks é um desenvolvedor líder de software de computação matemática para engenheiros e cientistas. Criaram o MATLAB e o Simulink e destacam-se não apenas pelos seus produtos, mas também por uma forte missão social, apoiando comunidades locais e profissionais por meio de iniciativas que promovem a educação STEM (Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática), fomentam o voluntariado da equipa constroem a sustentabilidade ambiental e ajudar nos esforços de ajuda global.


A Dra. Maria João Rosa, que trabalha na MathWorks, explica porque é que a NS foi nomeada para um donativo de final de ano: "Sendo uma migrante e uma cientista, tenho grande admiração pelo trabalho que a Native Scientists está a fazer. É óbvio que muitas comunidades estão subrepresentados em STEM e isso é algo que devemos mudar. Precisamos do talento de todos e para que isso aconteça é necessário inspirar a geração mais jovem, especialmente aqueles com acesso limitado à ciência e à tecnologia."

"Cada cêntimo conta! Sentimo-nos extremamente honrados e gratos aos líderes e funcionários da MathWorks por terem este programa de doações de final de ano e por votarem na Native Scientists. Nós realmente acreditamos no trabalho que fazemos e é gratificante e inspirador ver outros a fazer então" afirma com entusiasmo a fundadora da NS, Dra. Joana Moscoso.

As crianças migrantes têm duas vezes mais probabilidades de ter um mau desempenho escolar ou abandonar a escola do que as restantes. A Native Scientists é uma rede internacional de profissionais STEM comprometidos em enfrentar esta desvantagem educacional e impulsionar uma mudança social onde:

  • meninas e meninos pensam que tornar-se cientista é uma opção realmente viável;

  • a comunicação científica é uma segunda natureza para a maioria dos cientistas;

  • o multiculturalismo e o multilinguismo são aceites e celebrados (não marginalizados ou reprimidos).

Através do nosso trabalho, inspiramos a futura geração de profissionais STEM e treinamos a geração atual em comunicação científica. Desde 2013, atingimos mais de 2.500 alunos e mais de metade (60%) afirmaram ter conhecido um cientista pela primeira vez nas suas vidas durante uma oficina da NS.

Comentarios


bottom of page