top of page

Um futuro melhor para as comunidades migrantes



Os Novos Prémios Bauhaus Europeus nasceram no final de 2020 para unir comunidades e ligar o “Acordo Verde Europeu” à vida quotidiana e aos espaços de convivência. Os Prémios reconhecem e recompensam projetos existentes e conceitos de jovens, imaginando e criando um futuro sustentável e inclusivo. Em 2023, a Native Scientists recebeu o prémio pelo projeto Criando Pontes entre Estudantes e Cientistas da Mesma Comunidade Migrante . Afonso Bento, coordenador do programa, fala sobre o prémio e o que significa para a família indígena.

Qual é a sua função na Native?

Sou o líder do programa Same Migrant Community (SMC). Este é o programa da Native Scientists que liga estudantes e cientistas da mesma comunidade de migrantes de toda a Europa. Até agora, realizámos oficinas em 12 países diferentes, em 10 línguas diferentes e atingimos mais de 4000 estudantes.


Como funciona a mesma oficina sobre comunidades de migrantes?

Usamos uma aula em estilo carrossel, para que as crianças sejam divididas em grupos e 4 a 5 cientistas demonstrem o seu trabalho durante 10 a 15 minutos para cada grupo. Através das oficinas do SMC, os cientistas promovem a utilização da língua de herança das crianças, ao mesmo tempo que as envolvem com temas e práticas científicas, integrando a aprendizagem da ciência e da linguagem. As oficinas são tão multidisciplinares quanto possível, abrangendo diferentes áreas da ciência e proporcionando uma experiência de “Tapas Científicas” às crianças.


O que é o Prémio Bauhaus Europeu?

É uma iniciativa da União Europeia que apoia projetos de inovação social na construção de uma Europa mais sustentável, inovadora, inclusiva e bonita. Pode fazer parte de uma vasta rede de pessoas e organizações que perseguem esses objetivos e fazer parte dos poucos selecionados que ganham um prémio em dinheiro. Existem também diferentes categorias, a Native Scientists venceu por promover um “sentimento de pertença".


Porque é que o Prémio Bauhaus Europeu é um prémio de prestígio?

A União Europeia, bem como o NEB em particular, é uma importante instituição política que está alinhada com os nossos valores, como o multiculturalismo, a cooperação e os direitos humanos. A Native Scientists foi um dos cerca de uma dúzia de vencedores entre mais ou menos 1.500 candidatos, uma parte considerável do setor europeu de inovação social.


Porquê envolver comunidades migrantes desfavorecidas com a ciência?

Sabemos que as crianças migrantes na Europa estão numa situação desigual em comparação com os seus pares nativos. Há uma lacuna no desempenho académico, mas também na maioria das métricas que medem o bem-estar. Contudo, a maioria dos países não possui uma política escolar coerente ou adaptada para abordar estas desigualdades. É aí que entramos. Combinamos a ciência com um dos maiores trunfos das crianças migrantes: o multilinguismo.


Por que decidiu candidatar-se ao Prémio Bauhaus?

É uma grande honra receber o selo de aprovação de uma instituição tão importante que está moldando a vida de tantas pessoas. Claro que o reconhecimento internacional e o prémio monetário também foram bons incentivos :)


Como ganhar o Prémio Bauhaus ajuda o seu projeto?

Na Native Scientists estamos sempre à procura de desafiar as nossas ideias e ver até onde podemos ir. Além de nos conceder mais visibilidade e reconhecimento, o prémio monetário permite-nos continuar a crescer, investir no programa e nas suas componentes, envolver mais cientistas e, o mais importante, chegar a mais crianças de diferentes comunidades migrantes em toda a Europa.



Comments


bottom of page