top of page

Troca de cartas para conectar cientistas e alunos


Um novo programa spin-off da Native Scientists para alcançar alunos do mundo inteiro de língua portuguesa

Foi isso que se propôs fazer “Cartas com Ciência”, um programa spin-off da Native Scientists, inspirado no projeto norte-americano Letters to a Pre-Scientist. Esta nova iniciativa, que se traduz literalmente como “Cartas com Ciência”, visa inspirar as crianças dos países de língua portuguesa a considerarem carreiras no ensino superior e na investigação científica.

Existem 9 países no mundo onde o português é língua oficial, dos quais 8 são países em desenvolvimento e 5 pertencem à lista dos Países Menos Desenvolvidos das Nações Unidas. Através das “Cartas com Ciência”, as crianças destes países trocarão cartas com investigadores de língua portuguesa do mundo inteiro, tendo a oportunidade de melhorar as suas competências científicas e de língua portuguesa. As crianças conhecerão cientistas “reais” através desta troca de cartas e “ouvirão” temas como investigação e carreira, experiências no ensino superior, obstáculos enfrentados e como superá-los. Para muitos, será a primeira vez que receberão uma carta!

O lançamento oficial das “Cartas com Ciência” realiza-se hoje, 5 de maio de 2020, a par do primeiro Dia Mundial da Língua Portuguesa. Por trás deste projeto estão dois colaboradores da Native Scientists: Mariana Alves, Gestora de Projetos de Português em Heidelberg e Gestora de Parcerias Existentes, e Rafael Galupa, Editor e Gestor de Conteúdo do nosso Blog & News.

Sobre o programa, Rafael diz “Achei que ter crianças e cientistas a escrever cartas uns para os outros era uma ideia tão poderosa e simples que valia a pena replicá-la para o mundo da língua portuguesa, com mais de 250 milhões de falantes. Fiquei muito feliz quando a Native Scientists e a Letters to a Pre-Scientist concordaram em nos apoiar para levar a ideia adiante. No primeiro ano do programa, chegaremos a mais de 50 alunos em Moçambique e Portugal.” Mariana acrescenta que “para mim, este projeto significa retribuir à próxima geração e democratizar o acesso à ciência - a ciência precisa de chegar a todos e todos devemos tentar quebrar os muros nesse caminho. Pessoalmente, significa também reconectar-me com as minhas raízes, que neste caso é a minha língua materna.”


Se estiver interessado em participar neste projeto, visite o site Cartas com Ciência ou registe-se aqui. Para dúvidas, parcerias ou se conhece um professor entusiasta num país de língua portuguesa, envie um e-mail para: cartascomciencia [at] gmail.com


Sobre a Native Scientists

A Native Scientists é uma premiada organização sem fins lucrativos de âmbito europeu que promove a diversidade cultural na ciência, na educação e na sociedade. A Native Scientists oferece oficinas de ciências e línguas, formação em comunicação científica e projetos personalizados para diversas instituições, incluindo escolas, universidades e embaixadas. O trabalho desenvolvido cria pontes entre alunos e cientistas para promover a literacia científica e linguística por meio de modelos de comportamento e aprendizagem integrada de ciências e línguas. Fundado em 2013, o seu trabalho chega a mais de 1.200 alunos por ano e conta com uma rede de mais de 1.000 cientistas internacionais.

Sobre a Letters to a Pre-Scientist

A Letters to a Pre-Scientist (LPS) é um programa de correspondência por correspondência que conecta estudantes de comunidades de baixa renda nos EUA com profissionais reais da STEM do mundo inteiro durante aulas de ciências para desmistificar carreiras STEM e capacitar todos os alunos a verem-se como futuros cientistas. O programa amplia a consciência dos alunos sobre a aparência e o trabalho dos cientistas e ajuda os alunos a conectarem-se pessoalmente com a ciência. Durante o ano, um cientista transforma-se de alguém que vê nos filmes numa pessoa real que o aluno pode aspirar a imitar. Fundado em 2010, o programa atinge atualmente 1.650 alunos dos EUA por ano e é apoiado por uma rede mundial de mais de 2.000 profissionais STEM. O LPS é administrado pela organização sem fins lucrativos Pre-Scientist, Inc., com sede nos EUA. Saiba mais em www.prescientist.org


Kommentare


bottom of page